ORÁCULOS E TERAPIAS

sábado, 10 de maio de 2008

Profecias da Bíblia Cristã

A bíblia Cristã

Considerada a obra mais vendida no mundo, a Bíblia cristã reúne diversos livros canônicos de antes e após de Cristo. Entre eles figuram diversas mensagens proféticas sobre ‘ o fim dos tempos’, onde Deus faria recair sobre a humanidade pecadora toda sua ira, e após a purificação do mundo implantaria finalmente a era da paz. Esta ira divina se manisfestaria sob a forma de sinais cósmicas e sísmicos terremotos, escurecimento do sol e da lua, e estrelas caindo sobre a Terra.

Daniel 8: 1, 17-20, 23-25

No terceiro ano do reinado do rei Baltazar, tive uma visão, eu, Daniel, ...

... Então ele me disse: ‘ Filho do homem, fica sabendo que a visão se refere ao tempo do Fim’. ... ‘Vou dar-te a conhecer o que acontecerá no término da ira, porque isto diz respeito à época fixada para o Fim. ...

e no fim do seu reinado, quando chegarem ao cúmulo aos seus pecados, levantar-se-a um rei de olhar arrogante, capaz de penetrar os enigmas. Seu poder crescerá em força, mas não por sua própria força; ele tramará coisas inauditas e prosperará em suas empresas, arruinando a poderosos e ao próprio povo dos santos. Por sua habilidade, a perfídia terá êxito em suas mãos. Ele se exaltará em seu coração e, surpreendendo-os, destruirá a muitos. Opor-se-á mesmo ao Príncipe dos príncipes mas, sem que mão humana interfira, será esmagado.

Daniel 11:36, 40-42; 12: 1, 7 11-12

O rei agirá a seu bel-prazer, exaltando-se e engrandecendo-s acima de todos os deuses. Ele proferirá coisas inauditas contra o Deus dos deuses e no entanto prosperá, até que a cólera chegue a seu cúmulo porque o que está decretado se cumprirá. ...

no tempo do Fim, entrará em luta com ele o rei do Sul, contra o qual o rei do Norte se lançará com seus carros de guerra, seus cavaleiros e seus numerosos navios... Ele continuará a estender a mão sobre outras terras, ...

nesse momento levantar-se-á Miguel o grande Príncipe, que se conserva junto dos filhos do teu povo. Será um tempo de tal angústia qual jamais terá havido até aquele tempo, desde que as nações existem. ...

‘ E quando se completar o esmagamento da força do povo santo, essas coisas todas hão de consumar-se! ... ‘ A contar do momento que tiver sido abolido o sacrifício perpétuo e for instalada a abominação da desolação, haverá mul duzentos e noventa dias. Bem-aventurado aquele que perservar, chegando a mil trezentos e trinta e cinco dias.’

Isaías 13:5, 9-20

Eis-los que vêm de uma terra distante, da extremidade dos céus, Jeová e os instrumentos de sua ira, para devastar toda a terra. ... Eis o dia de Jeová, que vem implacável, e com ele o furor ardente de ira, reduzindo a terra a desolação e extirpando dela os pecadores. Com efeito, as estrelas do céu e órion não darão a sua luz. O sol se escurecerá ao anscer e alua não dará a sua claridade.

Hei de punir o mundo por causa da sua maldade ... Farei com que os homens sejam mais raros do que o ouro fino, e os mortais, mais raros do que o ouro de Ofir. Por isso farei estremecer os céus, a terra se moverá do seu lugar, em virtude de furor de Jeová dos Exércitos, no dia em qu arder a sua ira.

... Todos aquele que for encontrado será trespassado; todo aquele que for apanhado cairá à espada. ... Eis que vou suscitar contra eles os médos que não fazem caso de prata, nem dão valor ao ouro. ... Assim a Babilônia, a pérola dentre os reinos, o adorno e o orgulho dos caldeus, será como Sodoma e Gomorra, que foram reduzidos a ruínas por Deus. Nunca mais será habitata, de geração em geração não será povoada. Ali não acampará jamais o árabe, e os pastores não farão repousr ali os seus rebanhos.

Isaias 24:18-20

Com efeto, as cataratas do alto se abriram, os fundamentos da terra se abalaram. A terra será toda arrasada, a terra será sacudida violentamente, a terra será fortemente abalada. A terra cambaleará como um embriagado, ela oscilará como uma cabana, seu crime pesará sobre ela, ela cairá e não mais se levantará.

Mateus 24:6-9

Haveis de ouvir sobre guerras e rumores de guerras. Cuidado para não vos alarmardes. É preciso que aconteçam, mas ainda é o fim. Pois se levantará nação contra nação e reino contra reino. E haverá fome e terremotos em todos os lugares. Tudo isso será o princípio das dores.

Nesse tempo, vos entregaram à tribulação e vos matarão, e sereis odiados de todos os povos por causa do meu nome.

Mateus 24:21-22

Pois naquele tempo haverá uma grande tribulação, tal como não houve desde o princípio do mundo até agora, nem tornará a haver jamais. E se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma vida se salvaria. Mas, por causa dos eleitos, aqueles dias serão abreviados.

Mateus 24:29-30

Logo após a tribulção daqueles dias, o sol escurecerá, a lua não dará a sua claridade, as estrelas cairão do céu e os poderes dos céus serão abalados. Então aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem e todas as tribos da terra baterão no peito e verão o Filho do Homem vindo sobre as nuvens do céus com poder e grande glória.

Lucas 21:25-31

Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas; e na terra, as nações estarão em angústia, inquietas pelo bramido do mar e das ondas; os homens desfalecerão de medo, nas expectativa do que ameaçará o mundo habitato, pois os poderes dos céus serão abalados. Quando começaram a acontecer essas coisas, erguei-vos e levantai a cabeça, pois está próxima a vossa libertação’.

Em seguida contou-lhes uma parábola: ‘Vede a figueira e as árvores todas. Quando brotam, olhando-as, sabeis que o verão já está p´roximo. Da mesma forma tamb´m vós, quando virdes essas coisas acontecerem, sabei que o Reino de Deus está próximo.’

2 Tessalonicenses 2:1-5

Quando à vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, e à nossa reunião com ele, rogamovos irmãos, que não percais tão depressa a serenidade de espírito, e não vos pertubeis nem por palavras proféticas, nem por carta que se diga vir de nós, como se o dia do Senhor já estivesse próximo. Não vos deixeis enganar de modo algum por pessoa alguma; porque deve vir primeiro a apostasia, e apareceer o homem ímpio, o filho da perdição, o adversário, que se levantara contra tudo que se chama Deus, ou recebe um culto, chegando a sentar-se pessoalmente no templo de Deus, e querendo passar por Deus. Não vos lembrais de que vos dizia sto quando estava onvosco?

Apocalipse 6:8-14

Vi aparecer um cavalo esverdeado. Seu montador chamava-se’ a Morte’ e o Hades o acompanhava. Foi-lhe dado poder sobre a quarta parte da terra, para que exterminasse pela espada, pela fome, pela peste e pelas feras da terra.

Quando abriu o quinto selo, vi sobas vidas dos que tinham sido imolados por causa da Palavra de Deus e dos testemunho que dela tinham prestado. E eles chamavam em alta voz:

‘Até quando, ó Senhor santo e verdadeiro, tardarás a fazer justiça, vingando nosso sangue contra os habitantes da terra?’

A cada um deles foi dada, então, uma veste branca e foi-lhes dito, também, que repousassem por mais um pouco de tempo, até que se completasse o número dos seus companheiros e irmãos, que iriam ser mortos como eles.

Vi quando ele abriu o sexto selo: houve um grande terremoto; o sol tornou-se negro com um saco de crina, e a lua inteira como sangue; as estrelas do céu se precipitaram sobre a terra, como a figueira que deixa cair seus frutos ainda verdes aos ser agitada por um forte vento; o céu afastou-se, com um livro que é enrolado; as montanhas todas e as ilhas foram removidas de seu lugar ...

Apocalipse 16:18, 20-21

Houve então relâmpagos, vozes, trovões, e um forte terremoto; um terremoto tão violento como nunca houve desde que o homem apareceu sobre a terra... As ilhas todas fugiram e os montes desapareceram; do céu caiu sobre os homens um granizo pesado, como chuva de talentos.

Apocalipse 21:1

Vi então um céu novo e uma nova terra pois o primeiro céu e a primeira terra se foram.

Fonte: http://jluciano.users.com

Profecias que podem se Cumprir

O padre católico e santo Jean-Marie B. Vianney, homem simples, sobre quem ficaram registradas profecias e predições confirmadas sobre as pessoas que o visitavam, que nasceu próximo da época da Revolução francesa da França, disse que a guerra aconteceria nos anos 1, 2, 2 e 4. As profecias indicam que a duração da terceira guerra mundial será de três anos e meio.

Poderia ser 201 a 2004.

O antigo livro Liber Vaticinationem Quodam, escrito por volta do ano 350, anuncia uma guerra dizendo:

O terceiro milênio é momento da terceira grande guerra. A França é destruída, a terra treme...

trechos da profecia seguinte, proveniente do Claustro de Mariental, em Magonza, Alemnha, encontrada no início do século XIX, parecem ter ocorrido com precisão. Parte da mensagem fala da primeira e segunda guerras mundiais, do advento do nazismo e da divisão e reunificação da Alemanha. Sobre o futuro, a profecia fala de uma guerra relâmpago:

Serão somente dezoito dias. Mas serão dezoito espinhos para todo o mundo. Que entrarão na carne dos homens, em um tempo que não será muito longe do Dois mil.

A profecia abaixo, apesar de não ter ano associado, de Santo Anselmo, Bispo de Sunium (século XII), foi incluída nesta lista por ter uma referência que parece ser ao papa João Paulo II, ou seja, parece estar falando do momento atual.

Desgraça a ti, cidade de sete colinas (Roma), quando a letra K for louvada em teus muros (Karol Woytilla). Então, a tua queda estará próxima. (...) E tu, homem de barba grande (o líder mulçumano), tu a perderás e perderás teu valor em todo o mundo, por ter presidido a morte do Pontífice que se chama João Obi. (João Paulo é o único Papa que adotou dois nomes. Bis é dois em latim e Obii é óbto, morrer, por sol João Paulo II é também chamado do Papa trabalho do sol pela profecia de São Malaquias e Nostradamus.).

A profecia abaixo também não tem ano associado, mas tem relação com os problemas atuais na Iuguslávia. Talvez fale de Milosevic. Profecia de um a Irmã da Ordem da Rainha Brigitte, Roma (publicada na década de 70).

A terceira guerra mundial começará dias depois de uma assassinato de um líder no setor da Ioguslávia-Hungria.

Um certo Merlim, o lendário, que teria vivido na época de Rei Arthur, próximo aos séculos V e VII, ou outro Merlim, disse;

Antes que o cristianismo tenha 2000 anos, o oriente se inflamará e muitas pessoas morrerão. Haverá um Papa (João Paulo II) que não ousará continuar em Roma.

O cristianismo pode ser considerado como tendo surgido após o nascimento de Cristo (que ocorreu por volta do ano 5 a. C. ou após o início de sua pregação ou após a sua morte.

Alois Irlmaier (1894-1959) foi um cristão simples que viveu em Freilassing, Alemanha. Durante a vida, ajudou a polícia a descobrir criomonosos ajudava no diagnóstico de doentes e falava da terceira guerra, que segundo ele, iniciaram logo depois do assassinato de um grande em qualquer lugar perto dos árabes e assassinto nos Bálcans. Ele fez uma profecia com números, que apareceu em algum textos foi associada a 1999.

vejo três noves, mas não sei o que significam A terceira guerra estaria relacionada a algo ocorrido em 1999?

Entretando, esta profecia aparece em um livro alemão escrito por um pesquisador mais sério, aparentemente o estudioso mais sério na Alemanha sobre Irlmaier e ele afirma que a profecia original dizia um oito e dois noves e não três noves. Neste caso, parece ser alguma referência a Vladimir Putin.

Fonte: http://members.tripod.com/~Fabio001/ANALISE.html

Demonologia - A Doutrina dos Demônios

1. A ORIGEM DOS DEMÔNIOS

A. Almas dos Homens Maus já Mortos. Um ponto de vista pagão grego.

B. Espíritos Desencarnados de urna Raça Pré-adâmica. A Bíblia nunca menciona a existência de tal raça.

C. Descendência de Anjos e Mulheres Antediluvianas (Gn 6:1-4).

D. Anjos Caídos. Satanás é um anjo, e é chamado príncipe dos demônios (Mt 12:24), indicando que os demônios são anjos e não uma raça pré-adâmica. Além disso, Satanás tem uma hierarquia bem organizada de anjos (Ef 6:11-12), e é razoável supor que estes sejam demônios. Alguns demônios já estão presos (2 Pe 2:4; Jd 6) e alguns estão à solta, cumprindo ordens de Satanás. Alguns pensam que a razão para tal aprisionamento é a participação daqueles demônios no pecado de Gn 6:1-4.

II. CARACTERÍSTICAS DOS DEMÔNIOS

A. Sua Natureza

São seres espirituais. Observe que o demônio em Mateus 17:18 é chamado de espírito imundo no relato paralelo de Marcos 9:25. Veja também Efésios 6:12.

B. Seu Intelecto

Eles conhecem a Jesus (Mc 1:24), seu próprio destino final (Mt 8:29), o plano de salvação (Tg 2:19). Têm seu próprio sistema doutrinário bem desenvolvido (1Tm 4:1-3).

C. Sua Moralidade

São chamados de espíritos imundos, e sua doutrina leva a uma conduta imoral (1Tm 4:1-2).

III. ATIVIDADE DOS DEMÔNIOS

A. Em Geral

1. Os demônios tentam subverter o propósito de Deus (Dn 10:10-14; Ap 16:13-16).

2. Os demônios tentam estender a autoridade de Satanás, cumprindo sua vontade (Ef 6:11-12).

3. Os demônios podem ser usados por Deus na realização de Seus propósitos (1 Sm 16:14; 2 Co 12:7).

B. Em Particular

1. Demônios podem causar doenças (Mt 9:33; Lc 13:11, 16).

2. Demônios podem possuir homens (Mt 4:24).

3. Demônios podem possuir animais (Mc 5:13).

4. Os demônios se opõem ao crescimento dos filhos de Deus (Ef 6:12).

5. Demônios disseminam doutrinas falsas (1Tm 4:1).

IV. POSSESSÃO DEMONIACA

A. Definição de Possessão Demoníaca

Possessão demoníaca é a habitação de um demônio numa pessoa, exercendo controle e influência diretos sobre ela, com certo prejuízo para as funções mentais e/ou físicas. A possessão demoníaca deve ser distinguida da influência demoníaca ou atividade demoníaca contra uma pessoa. Nestas duas últimas formas de atuação, o demônio atua de fora para dentro; na possessão, ele opera de dentro da própria pessoa. Por esta definição, o crente não pode ser possuído por um demônio já que é habitado pelo Espírito Santo. O crente pode, contudo, ser alvo de opressão demoníaca a tal ponto de dar a impressão de estar possuído.

B. Efeitos da Possessão Demoníaca

1. Ocasionalmente, doença física (Mt 9:32-33), mas a doença e a possessão são distinguidas uma da outra nas Escrituras (At 5:16).

2. Distúrbios mentais são ocasionalmente causados por possessão demoníaca (Mt 17:15), mas não sempre (Dn4).

C. Extensão da Possessão Demoníaca

1. Quanto a pessoas. Somente descrentes podem ser possessos. Ao tempo de Cristo, a maioria das ocorrências de possessão demoníaca deu-se entre gentios.

2. Quanto a tempo. Geralmente há um surto de atividade demoníaca quando a luz e a verdade se manifestam mais fortemente (e.g., o tempo de Cristo).

V. O DESTINO DOS DEMÔNIOS

A. Destino Temporário

1. Alguns que estavam livres foram lançados ao abismo (Lc 8:31; cf. Ap 9:11).

2. Alguns que estão presos serão soltos na Grande Tribulação (Ap 9:1-11; 16:13-14).

B. Destino Definitivo

Finalmente todos os demônios serão lançados juntamente com Satanás para dentro do lago de fogo (Mt 25:41).

Fonte: www.portalupe.hpg.ig.com.br

Demônios

Em nosso estudo deste assunto, é necessário que examinemos primeiro o sentido do termo “demônio”.
Segundo o uso clássico, refere-se a deuses e semi-deuses. Homero chamou-os de deuses, mas precisamos lembrar que os deuses de Homero eram meramente homens sobrenaturais. Algumas vezes o termo era aplicado a uma espécie de divindade intermediária e inferior. Diz Platão: “A divindade não tem intercâmbio com o homem; mas todo intercâmbio e conversação que haja entre os deuses e os homens é efetuado através da mediação de demônios: .
“Se perguntarmos de onde vem esses demônios, dir-nos-ão que são os espíritos dos homens da idade áurea que agora servem como divindades protetoras – heróis canonizados, semelhantes, tanto em sua origem como em suas funções, aos santos romanistas”. Pember
Quando examinam as Escrituras, algumas pessoas ficam em dúvida se os demônios devem ser classificados juntamente com os anjos ou não; mas não há dúvida de que, na Bíblia, há ensino positivo concernente a cada um dos dois grupos.
Ainda que algumas pessoas falem em "diabos” 1 como se houvesse muitos de sua espécie, tal expressão é incorreta. Há muitos "demônios", mas existe um único "diabo”. "Diabo" é transliteração do vocábulo grego "diábolos", nome sempre usado no singular, que significa "acusador" e é aplicado nas Escrituras exclusivamente a Satanás. "Demônio" é transliteração de "daimon” ou "daimonion", o plural é “daimonia".

1. Sua existência

1 . Reconhecida por Jesus.
Mt 12.27,28 - E, se eu expulso os demônios por Belzebu, por quem os expulsam vossos filhos? Por isso eles mesmos serão os vossos juizes. Se, porém eu expulso os demônios, pelo Espírito de Deus, certamente é chegado o reino de Deus sobre vós.

V. A. - Mt 8.28-32.

V. T. - Mt 10.8; Mc 16,17.

Jesus Cristo reconheceu a existência dos demônios falando a respeito deles e para eles.

2. Reconhecida pelos setenta.
Lc 10.17 - Então regressaram os setenta, possuídos de alegria, dizendo: Senhor, os próprios demônios se nos submetem pelo teu nome!

Os setenta, aos quais Jesus nomeou e enviou de dois em dois, tiveram de enfrentar os demônios, e retornaram com o relatório que os demônios se lhes tornavam sujeitos através do nome de Cristo.

3. Reconhecida pelos apóstolos.
(1) Por Paulo.

1 Co 10.20,21 - Antes digo que as causas que eles sacrificam, é a demônios que as sacrificam, e não a Deus; e eu não quero que vos torneis associados aos demônios. Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios: não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios.

V,A,- I Tm 4.1.

V. T.. - At 16.14-18.

O Apóstolo Paulo reconheceu a realidade da existência dos demônios em seus dias, e fez advertência a respeito deles.

(2) Por Tiago.

Tg 2.19 - Crês, tu, que Deus é um só? Fazes bem Até os demônios crêem, e tremem.
Tiago reconheceu a existência dos demônios, revelando que eles, por crerem na existência de Deus, estremecem,D. D. - A existência dos demônios é claramente estabelecida pelo testemunho combinado de Jesus Cristo e de Seus discípulos.

2. Sua Natureza.

1. Natureza. essencial.
(1) Inteligências pessoais.

Mt 8. 29,31 - E eis que gritaram: Que temos nós contigo, ó Filho de Deus! Vieste aqui atormentar-nos antes de tempo?... Então os demônios lhe rogavam: Se nos expeles, manda-nos para a manada dos porcos.

V. A. - La 4.35,41; Tg 2.19; Mc 1.23,24; At 19.13,15.
Características e ações pessoais são atribuídas aos demônios, o que demonstra que possuem personalidade e também inteligência.

(2) Seres espirituais.

Lc 9.38,39,42 - E eis que, dentre a multidão, surgiu um homem, dizendo em alta voz: Mestre, suplico-te que vejas meu filho, porque é o único; um espírito se apodera dele e, de repente, grita e o atira por terra, convulsiona-o até espumar, e dificilmente o deixa, depois de o ter quebrantado... Quando se ia aproximando, o demônio o atirou no chão e o convulsionou; mas Jesus repreendeu o espírito imundo, curou o menino e o entregou a seu pai.

V A. - Mc 5. 2,7-9,12,13,15.

Os demônios são seres espirituais; são reputados idêntico aos espíritos imundos, no Novo Testamento.

(3) Ao que parece, espíritos destituídos de seus corpos.

Mt 12.43,44- Quando o espírito imundo sai do homem, anda por lugares áridos procurando repouso, porém não encontra. Por isso diz: Voltarei para minha casa donde saí. E, tendo voltado, a encontra vazia, varrida e ornamentada.

V.A. - Mc 5.10-13.

A origem dos demônios não é revelada nas Escrituras. Alguns, contudo, tem conjeturado que sejam espíritos desencarnados, talvez de alguma raça ou ordem de seres pré-adamicos; ou, quem sabe, da própria raça adâmica. Se forem realmente espíritos desencarnados, isso explicaria o fato que procuram encarnar-se, pois, ao que parece, quando desencarnado são incapazes de operar na plena forca de sua maldade. Não será que esses demônios são os espíritos daqueles que palmilharam esta terra na carne, antes da ruína descrita no segundo versículo do Gênesis, e que, por ocasião daquele grande cataclismo, foram desencarnados por Deus, e deixados ainda sob o poder de seu líder, de cuja sorte terão de compartilhar afinal? Há um fato freqüentemente registrado que, não há dúvida, parece confirmar tal Hipótese: pois lemos que os demônios estão continuamente procurando apossar-se dos corpos dos homens, a fim do empregá-los para seus próprios fins, e não é igualmente possível que essa propensão indique uma incômoda falta de sossego, pelo que vivem a vaguear, o que se origina do senso de serem incompletos; indique o intenso desejo de escaparem de uma condição intolerável - de estarem desencarnados - condição para a qual não foram criados? e indique um anseio tão intenso que, se não puderem satisfazê-lo doutro modo, se dispõem até mesmo a entrar nos imundos corpos dos porcos?

Não encontramos tal propensão da parte de Satanás e de seus anjos. Eles, sem dúvida, ainda retêm seus corpos etéreos, pois, de outro modo, como poderiam manter o seu conflito com os anjos de Deus? Provavelmente considerariam com grande desdém o grosseiro e desajeitado tabernáculo que é o corpo do homem. Os anjos, pode ser que entrem nos corpos físicos dos homens: Isso, porém, não por inclinação, mas tão somente porque isso se torna absolutamente necessário para a consecução de alguma grande conspiração do mal. Que os anjos não são meros espíritos desencarnados, parece claro pelas palavras de nosso Senhor, em Lucas 20.34-36: "Então lhes acrescentou Jesus: Os filhos deste mundo casam-se e dão-se em casamento; mas os que são havidos por dignos de alcançar a era vindoura e a ressurreição dentre os mortos, não casam nem se dão em casamento. Pois não podem mais morrer, porque são iguais aos anjos, e são filhos de Deus, sendo filhos da ressurreição".

Isso parece dar a entender que os anjos são revestidos de corpos espirituais, como os que nos são prometidos. Portanto, talvez se possa entender que, apesar de os anjos serem espíritos, possuindo corpos espirituais, nem todos os espíritos são anjos. Parece que os judeus faziam essa distinção, pelo menos de conformidade com Atos 23.9: "Não achamos neste homem mal algum; e será que algum espírito ou anjo lhe tenha falado?" Essa pergunta foi levantada pelos fariseus, a respeito do apóstolo Paulo, quando o aprisionaram em Jerusalém. No versículo anterior lemos a respeito dos oponentes dos fariseus, os saduceus, que negavam a existência de anjos ou espíritos.

Por conseguinte, os demônios são uma ordem de seres espirituais; que parecem ser distintos e separados dos anjos: pelo que fica subentendido por algumas pas-sagens, parecem estar em estado de desencarnação, tendo existido em algum período anterior, quando possuíam forma corpórea.

(4) Muitos em número.

Mc 5.9 - E perguntou-lhe: Qual é o teu nome? Respondeu ele: Legião é o meu nome, porque somos muitos.

"Uma Legião, no exército romano, totalizava, quando completa, seis mil soldados; mas aqui essa palavra é usada a respeito de um número indefinido e elevado – suficientemente elevado, contudo, para, assim que tiveram licença, ocupar os corpos do dois mil porcos e destruí-los". - Jamieson, Fausset, Brown.

Ver Lc 8.30.

Ver Mt 12.26,27.

Os demônios são de tal modo numerosos que tornam Satanás praticamente ubíquo por meio desses seus representantes

Fonte: www.igrejaviva.vilabol.uol.com.br

Allan Kardec - Sobre Demônios

Em sua sabedoria, Deus criou todos os espíritos perfectíveis

"Demônios" são espíritos imperfeitos, suscetíveis de regeneração

Você acha que é possível alguém resolver ser mau e ignorante para sempre e nunca se entediar por ter tomado essa decisão? Principalmente se esse alguém descobrir, por observação, que fazer o bem e tornar-se bom é o grande lance e a única possibilidade para beneficiar-se a si mesmo e passar a viver numa condição muito melhor?

De acordo com a doutrina da Igreja os demônios foram criados bons e tornaram-se maus por sua desobediência. Esses anjos teriam sido colocados primitivamente por Deus no ápice da escala tendo dela decaído. Aqueles que por apatia, negligência, obstinação ou má vontade persistem em ficar, por mais tempo, nas classes inferiores, sofrem as conseqüências dessa atitude e o hábito do mal lhes dificulta a regeneração.

O espiritismo, por outro lado, afirma que os demônios são espíritos ainda imperfeitos, suscetíveis de regeneração, os quais, colocados na base da escala, nela haverão de graduar-se.

Em sua sabedoria, Deus criou todos os espíritos perfectíveis

O espiritismo esclarece que, nem anjos nem demônios são entidades distintas, por isso que a criação de seres inteligentes é uma só. Unidos a corpos materiais, esses seres constituem a Humanidade que povoa a Terra e as outras esferas habitadas. Uma vez libertos do corpo material, passam a integrar o mundo espiritual ou dos espíritos, que povoam os espaços. Deus criou-os perfectíveis e lhes deu por objetivo a perfeição, com a felicidade dela decorrente.

Para que tenha mérito, Deus fez com que a perfeição deva ser alcançada através do esforço próprio

O Criador não deu aos espíritos a perfeição, pois quis que a obtivessem por seu próprio esforço, a fim de que também e realmente lhes pertencesse o mérito. Desde o momento de sua criação que os seres progridem, quer encarnados, quer no estado espiritual. Atingindo o apogeu, tornam-se puros espíritos ou anjos segundo a expressão vulgar, de sorte que, a partir do embrião do ser inteligente até os anjos há uma cadeia em que cada um dos elos assinala um grau de progresso.

Assim, conclui-se que há espíritos em todos os graus de adiantamento, moral e intelectual, conforme a posição em que se acham, na imensa escala do progresso.

Nas classes inferiores estão os espíritos ainda profundamente propensos ao mal

Em todos esses graus existe, portanto, ignorância e saber, bondade e maldade. Nas classes inferiores destacam-se espíritos profundamente propensos ao mal e comprazendo-se com o mal. A estes pode-se denominar demônios, pois são capazes de todos os malefícios que se lhes atribuem. O espiritismo não lhes dá esse nome por se prender ele à idéia de uma criação distinta do gênero humano, como seres de natureza essencialmente perversa, votados ao mal eternamente e incapazes de qualquer progresso para o bem.

Apesar do livre arbítrio, todos os espíritos estão submetidos à Lei do Progresso

A esses espíritos de classes inferiores, chega-lhes porém um dia a fadiga dessa vida penosa e das suas respectivas conseqüências. Eles comparam a sua situação à dos bons espíritos e compreendem que o seu interesse está no bem, procurando então melhorar-se, mas por ato de espontânea vontade, sem que haja nisso o mínimo constrangimento. "Submetidos à lei geral do progresso, em virtude da sua aptidão para ele não progridem, ainda assim, contra a vontade". Deus fornece-lhes constantemente os meios, porém, com a faculdade de aceitá-los ou recusá-los. Se o progresso fosse obrigatório não haveria mérito e Deus que que todos tenhamos o mérito das nossa obras. Ninguém é colocado em primeiro lugar por privilégio; mas o primeiro lugar a todos é franqueado à custas do esforço próprio.

Os anjos mais elevados conquistaram a sua graduação, passando, como os demais, pela rota comum

Chegados a determinado grau de pureza, os espíritos têm missões adequdas ao seu progresso. Preenchem assim todas as funções atribuídas aos anjos de diferentes categorias.

Fonte: www.consciesp.org.br

O que a Bíblia diz sobre a Canalização?

John Ankerberg e John Weldon A primeira incidência histórica da canalização foi registrada na Bíblia em Gênesis capítulo 3. Lá no Jardim do Éden, o diabo usou a serpente como um "canal" para enganar Eva (Gn 3.1-5; 2 Co 11.3; Ap 12.9). Através da canalização, o diabo levou o homem a duvidar de Deus, com graves conseqüências. Significativamente, há razões importantes para crer que a realidade básica da canalização sugerida aqui jamais se alterou no que se refere:

(1) à origem (o diabo ou demônios);
(2) ao seu resultado (ilusão espiritual que destrói a confiança em Deus); e
(3) às suas conseqüências (juízo divino; Gn 3.13-19; Dt 18-9-13).

A canalização é, pois, condenada pela Bíblia como uma prática maligna diante de Deus. Ela é rejeitada por ser uma forma de espiritismo que envolve contato com demônios e a divulgação dos seus falsos ensinamentos.

A Bíblia ensina igualmente que "nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios" (1 Tm 4.1).

Os ensinamentos espíritas deturpam a natureza de Deus, mentem sobre Cristo e distorcem o caminho da salvação.

Os que confiam nas doutrinas espíritas enfrentam o juízo da morte. Sob a autoridade do próprio Cristo, descobrimos que o inferno é um lugar real (Mt 25.46; Lc 16.19-31).
Os demônios que asseguram aos homens que o pecado não é real e o inferno não existe, promovem a ruína eterna dos que confiam neles. A Bíblia instrui os homens a rejeitarem toda sorte de espiritismo por ser algo maligno e um contato com espíritos mentirosos.
A canalização é uma forma de guerra espiritual, pondo em risco as almas dos homens (2 Co 4.4).

Essa é a razão pela qual tanto a canalização quanto seguir os ensinos dos canalizadores é condenado nas Escrituras como rebelião contra Deus e se expor ao juízo divino.

Um exemplo disso é o rei Manassés de Judá no antigo Israel. "Ele praticou a feitiçaria, usou a adivinhação, praticou a magia e tratou com médiuns e espíritas, fazendo o que era mau perante o Senhor, provocando-Lhe a ira" (2 Cr 33.2-6, tradução livre).
Da mesma forma, em Deuteronômio 18.9-12, Deus adverte o Seu povo: "Não se achará entre vocês quem faça adivinhações, pratique a feitiçaria, que seja espírita, ou invoque os mortos; pois, todo aquele que faz essas coisas é abominável ao Senhor..."(tradução livre).

A frase "que seja espírita" condena claramente todos os aspectos da canalização. (John Ankerberg e John Weldon. Extraído do livro Os Fatos Sobre os Espíritos Guias).

Fonte: www.emespirito.hpg.ig.com.br

Tronos de Deus

Os Senhores da Magia Divina

Os Tronos de Deus são uma classe de divindades (ver Divindades de Deus) entre as várias que conhecemos, e que são estas : anjos, arcanjos, serafins, querubins, dominações, potências, gênios, devas, etc.

Os Tronos são um tanto desconhecidos porque pouco foi escrito sobre eles nos textos sagrados. Nós temos à nossa disposição uma vasta literatura sobre os anjos e os arcanjos da cabala judaica. Mas nada, ou quase nada, tínhamos sobre os Tronos de Deus.

Um Trono é uma divindade “assentada” e por isso o seu nome : Trono.

Após certas revelações, ficou-se sabendo que esta classe de divindades é muito mais importante para nós do que parece à primeira vista, pois os Tronos são os seres Divinos que dão sustentação à evolução dos espíritos desde o momento em que Deus os emana para que iniciem seus ciclos evolutivos, durante os quais vão sendo abertas as faculdades mentais e toda a nossa herança genética Divina guardada dentro do mental.

No momento em que somos emanados por Deus não somos mais que uma centelha viva e luminosa que pulsa continuamente. E, neste momento em que somos emanados pelo nosso Divino Criador, começa a atuação dos seus Tronos, pois somos atraídos pelos seus magnetismos mentais Divinos e somos ligados às suas ondas mentais, que passam a nos “alimentar” dali em diante e para sempre.

No momento em que somos ligados às ondas mentais de um Trono, um cordão energético começa a nos saturar com as suas energias mentais e estas trazem, em si, sua natureza Divina que nos imanta, magnetiza e individualiza lentamente para que, pouco a pouco, nós possamos “crescer” em todos os sentidos.

Os Tronos regem nossa evolução e são as Divindades responsáveis pela nossa natureza íntima e pela abertura das nossas faculdades mentais e nosso dons naturais herdados de Deus, o nosso Divino Criador.

O ato de acendermos velas (ver Magia das Velas) às divindades é benéfico e, se direcionadas aos Tronos, trazem um auxílio imediato, pois já temos ligações mentais com eles desde nossa emanação por Deus.

Assim sendo, os Tronos de Deus são as Divindades responsáveis pela evolução dos seres, aos quais regem religiosamente, sempre segundo as “feições” humanas que lhes têm sido dadas pelos sacerdotes das muitas religiões já semeadas na face da Terra.

Os Tronos transcendem nossas concepções humanas acerca deles porque são em si mistérios de Deus, sendo que cada um é uma das qualidades d´Ele e atuam em campos específicos da vida dos seres.

Uns são Tronos da Fé, outros são Tronos do Amor, outros são Tronos da Justiça, outros são Tronos da Lei, etc. Então, temos as hierarquias dos Tronos de Deus, cada uma responsável por um aspecto da criação e por um sentido da vida.

Temos sete hierarquias religiosas muito bem definidas ou sete linhas de ação e reação. Essas sete irradiações divinas correspondem ao Setenário Sagrado que rege o nosso planeta e suas muitas dimensões da vida aqui existentes, todas elas habitadas por bilhões de seres naturais, não encarnantes, que seguem uma evolução vertical e que nunca são adormecidos e não têm interrupção na aprendizagem, como acontece conosco, espíritos encarnantes.

Os muitos seres excepcionais que encarnam e fundam religiões aqui no plano material são espíritos que vieram diretamente das hierarquias divinas dos Tronos de Deus, que os enviam à dimensão humana para abrir novas religiões que mudam os nossos conceitos acerca d´Ele e tornam-se vias evolutivas para milhões de espíritos ainda paralisados pelas amarras terrenas, adquiridas quando viveram com intensidade as coisas do mundo material.

Pois bem, os Tronos têm duas vertentes, uma religiosa e outra mágica.

A vertente religiosa auxilia os seres por meio da fé e os guia em suas religiosidades, não importando qual é a crença seguida pelas pessoas. Eles transcendem as religiões estabelecidas aqui na Terra e cuidam de todos os seres gerados por Deus, sendo que muitos dos nossos irmãos nunca encarnam e seguem uma evolução chamada de “vertical” porque nela não existe o deslocamento para o nosso plano de vida.

Já a vertente magística caminha em paralelo com a vertente religiosa e auxilia os seres por meio de procedimentos mágicos aos quais as pessoas recorrem para a rápida solução de suas dificuldades.

Existem duas magias, sendo que uma é a religiosa e acontece sempre que uma pessoa vai a um santuário natural e a realiza ali, revestindo-se de procedimentos religiosos.

Quanto à vertente magística, ela tem seus procedimentos próprios e os Tronos têm uma escrita ou grafia específica, também denominada de “magia riscada” (ver Magia Riscada), pois é ativada a partir de pontos cabalísticos riscados com o giz ou pemba.

A vertente magística não ativa espíritos, pois é toda energética, magnética e vibratória e são suas irradiações vivas que agem quando eles são ativados magisticamente. Esta vertente mágica dos Tronos já vem sendo usada desde eras remotas, em que eles eram evocados com outros nomes, associados a divindades de culturas e religiões já extintas na face da Terra.

Toda magia tem que estar associada a alguma divindade e todas as divindades regentes religiosas provêm das hierarquias dos sete Tronos de Deus, que são os regentes da evolução dos seres.

Eis os sete Tronos de Deus :

· Trono da Fé – rege a religiosidade dos seres

· Trono do Amor – rege a união, a concepção da vida

· Trono do Conhecimento – rege o aprendizado e o raciocínio

· Trono da Justiça – rege a razão, o equilíbrio em todos os aspectos da vida

· Trono da Lei – rege o caráter, o direcionamento e a ordenação da criação e da vida

· Trono da Evolução – rege o aperfeiçoamento, as passagens de estágios evolutivos

· Trono da Geração – rege o criacionismo, a geração e a criatividade

Fonte: O Código da escrita Mágica Simbólica / Iniciação à Escrita Mágica Divina
Autor: Rubens Saraceni
Editora: Madras

Magia Divina Riscada

AVISO : Recomenda-se que leia as matérias sobre Magia Divina e sobre as Divindades e Tronos de Deus antes de iniciar esta leitura.

**** Apenas os iniciados podem fazê-la para outros, quem não for, somente poderá fazer para si mesmo. ****

A magia se escreve com signos, símbolos, traços retos e traços curvos.

Mas em verdade, escrever magia é abrir, numa superfície plana (uma madeira, uma lajota ou no próprio solo), um espaço mágico e afixar dentro dele as ondas vibratórias das divindades, riscando-as e ativando-as.

As ondas vibratórias dos Tronos são muitas e cada uma tem uma forma de fluir somente sua, ainda que todas se assemelhem.

Nós temos à nossa disposição ondas retas, ondas curvas, ondas raiadas, ondas espiraladas, ondas entrelaçadas, ondas cruzadas, ondas coronais, ondas caniculares, ondas bifurcadas, ondas tripolares, ondas tetrapolares, ondas pentapolares, ondas hexapolares, ondas heptapolares, ondas octopolares, ondas eneapolares, etc.

Enfim, existem muitos tipos de ondas vibratórias naturais, sendo que umas são ondas puras, outras são ondas mistas e outras são ondas compostas.

As ondas puras são transportadoras de energias, vibrações e magnetismos puros das divindades, conhecidas como ondas fatorais.

As ondas mistas são transportadoras de energias, vibrações, magnetismos complementares entre si, e são denominadas de ondas elementais.

As ondas compostas são as resultantes da fusão de muitos tipos de ondas puras ou de ondas mistas e são transportadoras de um amálgama energético, magnético e vibratório poderosíssimo.

Em magia, as ondas compostas são muito usadas e nós as fundimos dentro de um espaço mágico, riscando-as e ativando-as magisticamente.

Escrevemos vários tipos de ondas e, APÓS EVOCARMOS OS TRONOS QUE AS IRRADIAM naturalmente de si, ativamos um campo eletromagnético e criamos um pólo mágico vivo, capaz de irradiar-se e alcançar outros níveis vibratórios e outras dimensões da vida.

Cada onda vibratória escrita em um espaço mágico, assim que é ativada, liga-se à sua tela vibratória planetária multidimensional. Regida pelo Trono que a irradia de si mesmo e a sustenta totalmente apenas com seu poder mental.

Às vezes, nós não escrevemos toda uma onda vibratória que cruze os sete níveis vibratórios positivos e os sete negativos, mas sim, somente escrevemos uma pequena parte dela. Parte essa que denominamos de signo mágico.

Os signos mágicos são pequenos traços, mas que, em magia escrita, simbolizam uma onda vibratória completa e têm tanto poder de realização quanto elas. Nós os vemos nos antigos livros de magia.

Os magnetismos dos Tronos formam pólos eletromagnéticos com formas bem definidas, e que são os símbolos mágicos ou religiosos reunidos nos livros de simbologia à disposição dos leitores, mas aos quais faltam os fundamentos que os originaram. Dar uma interpretação pessoal a um símbolo é uma coisa. Interpretá-lo segundo seu real significado esotérico ou oculto, aí reside a diferença entre conhecimentos fundamentais e uma mera compilação.

As ondas vibratórias são as que formam as telas planetárias dos Tronos e nas quais refletem todos os nossos atos, palavras e pensamentos, onde são gravados e ficam impressos como nosso carma.

As ondas eletromagnéticas ou ondas transportadoras de energias são aquelas que fluem através dos níveis vibratórios das muitas dimensões e planos de vida existentes nesse nosso abençoado planeta.

A fusão de ondas puras ou mistas, que dão origem a signos, símbolos e ondas compostas compartilhadas por vários Tronos, torna impossível a identificação peremptória de qual deles é seu regente principal porque todos eles as irradiam naturalmente e as usam quando são evocados magisticamente.

Há livros de magia de pemba ou de pontos riscados que são compilados por pessoas que pesquisaram o assunto e vão colecionando os pontos de trabalho, de firmeza de descarga ou de corte de magias negras, todos riscados por guias de lei de Umbanda.

Nós, observando os pontos riscados, os vemos como verdadeiros. Mas apenas indicam a quem pertencem. E muitas vezes vemos que até isto está errado.

Esperamos que de agora em diante as confusões e interpretações errôneas cessem, e as pessoas interessadas por magia riscada aprendam que sem o conhecimento das ondas vibratórias, dos magnetismos, dos signos e dos símbolos sagrados dos Tronos, escrever sobre tais assuntos é pura especulação.

Saibam também que, quanto maior for a abertura mental dos médiuns, mais os guias da lei de Umbanda recorrem aos pontos riscados. E quanto menor for essa abertura, menos eles recorrem, deixando de usar um recurso poderosíssimo, que dispensa maiores esforços para cortar demandas e magias negativas e para descarregar os centros onde atuam e as pessoas que os consultam periodicamente, tornando muito trabalhosa a ajuda que dão aos que recorrem a eles.

O uso da magia riscada é antigo, porém os magos do passado riscavam sem conhecer os fundamentos por trás dos símbolos. Hoje, estes fundamentos foram abertos pelo Astral Superior.

Exemplo de uso

Esta magia é ótima para o direcionamento, para afastar espíritos perturbadores, para fortalecer o mental e para limpar os ambientes.

Em princípio, devem ter à mão giz ou pemba branca e uma vela branca e sete velas verdes, pois será usada a magia riscada em união com a magia das velas. Risquem no chão, ponham as velas nos lugares indicados, acendam-nas, ajoelhem-se e fiquem numa atitude de respeito e consideração.

Façam a seguinte evocação:

Eu evoco Deus, evoco seus Divinos Tronos, evoco sua Lei Maior e sua Justiça Divina, assim como evoco os Tronos aqui firmados* e peço que ativem este espaço mágico para que eu seja beneficiado nas minhas necessidades pelos poderes divinos aqui inscritos e firmados. (Após fazer esta evocação mágica, diga quais os benefícios desejados).

Permaneçam uns dez minutos ajoelhados ou no centro da mandal concentrados antes de irem cuidar dos afazeres mundanos.

Após as velas apagarem, pode limpar o chão que a magia continuará no lado etérico. Cuidado para que as velas não provoquem um incêndio. Podem pôr forminhas ou pires embaixo das velas.

Lembrem-se: esta magia é uma bondade que as Forças Superiores concederam a nós. Fazê-la não torna ninguém um iniciado na Magia. Tenham sempre em mente que, ainda que a magia divina não possa ser usada negativamente, só o fato de tentar usá-la desta maneira já descarrega sobre o seu usurpador as conseqüências cármicas de seu ato. Nunca queiram fazer o bem à força. Cada um tem o que merece. Quer ajudar os outros? Seja você mesmo um foco irradiador de luz. Apenas os iniciados podem fazê-la para outros, quem não for, somente poderá fazer para si mesmo.

Também não é condizente levar uma vida desregrada e depois achar que os Tronos cuidarão da sua vida. Quer um benefício? Seja digno dele.

* Esta é a evocação básica que todo mago divino utiliza antes de qualquer operação mágica. Por isso que a Magia Divina não tem um lado negativo.

[Na figura, não é necessário desenhar as bolinhas pretas nem as letras, elas são apenas legendas. No C (centro) ponha a vela branca e nos P (pontas) ponha as velas verdes. O desenho não precisa estar geometricamente perfeito, haja vista as condições do chão em que a magia será riscada, porém, faça-o o mais próximo possível do desenho.]

Fonte: Iniciação à Escrita Mágica Divina
Autor: Rubens Saraceni
Editora: Madras

Magia Divina das Velas

AVISO : Recomenda-se que leia as matérias sobre Magia Divina e sobre as Divindades e Tronos de Deus antes de iniciar esta leitura.

As velas, em si, são um mistério religioso disseminado por todas as religiões do mundo e só algumas não a adotam. Mas se soubessem que elas têm uma utilidade importantíssima, com certeza também adotariam o seu uso durante os rituais.

As velas são um substituto muito prático às piras ardentes da antigüidade, nos remotíssimos cultos às divindades do fogo, saudadas com tochas ardentes ou fogueiras.

O fato é que as velas são um mistério em si e, quando acesas magística ou religiosamente, são um poderoso elemento religioso mágico, energético e vibratório que atua no espírito de quem receber sua irradiação ígnea.

O uso religioso das velas justifica-se porque quando as acendemos, elas tanto consomem energias do prana quanto o energizam, e seus halos luminosos interpenetram as sete dimensões básicas da vida, enviando a elas suas irradiações ígneas.

É essa capacidade das velas que as tornam elementos mágicos por excelência, pois por meio de suas irradiações e suas vibrações incandescentes é possível todo um intercâmbio energético com os seres que vivem em outras dimensões e com os espíritos estacionados nas esferas ou níveis vibratórios positivos e negativos.

Essa capacidade delas justifica seu uso até quando são acesas para o espírito de alguém que desencarnou, pois ele irá receber um fluxo luminoso, curador de seu corpo energético, fortalecedor de seu mental e terá seu emocional reequilibrado, caso tenha sido atraído pelo magnetismo de uma esfera ou nível vibratório negativo. Mas caso esteja em alguma esfera positiva e luminosa, também receberá o fluxo da vela do mesmo jeito, incorporando-o ao seu corpo energético e fortalecendo seu magnetismo mental.

Saibam que o fluxo irradiante de uma vela, se for ativado por sentimentos virtuosos, é muito positivo e gratificante a quem o receber.

Só que, no caso de quem ativa negativamente uma vela contra alguma pessoa ou espírito, acontece uma reação imediata e fulminante da Lei Maior e da Justiça Divina, pois quem a ativou perdeu sua própria luz e, com o tempo, a dor de quem foi atingido retornará e o atingirá com o rigor da lei.

Nem é necessário dizer que uma magia divina jamais poderá ser ativada com fins escusos. Ela simplesmente não funcionará, mas a reação virá do mesmo jeito.

Portanto, uma vela só deve ser acesa por um bom motivo e por sentimentos virtuosos, pois, na mesma proporção, a Lei Maior retribuirá com luz Divina quem deu luz a alguém necessitado ou merecedor de suas irradiações.

O ato de acender velas brancas ao Anjo da Guarda é muito positivo e funciona mesmo. Ele tanto a usará para atuar em favor da pessoa guardada por ele, quanto para energizar-se com uma irradiação ígnea poderosíssima, capaz de acelerar imediatamente suas vibrações e expandir suas irradiações mentais, pois como já comentamos, seu mental será fortalecido.

As velas usadas nos templos têm o poder de consumir as energias negativas e os miasmas que são descarregados pelos seus freqüentadores dentro de seu campo eletromagnético, assim como, num intercâmbio energético, recebem da divindade à qual foram consagradas um fluxo de energia Divina que se espalha pelo altar e irradia-se pelo espaço interno, alcançando quem se encontrar dentro dele.

Magisticamente, as velas criam passagens ou comunicações com outras dimensões da vida e tanto podem enviar-lhes suas energias, como podem retirar delas as que estão sendo necessárias a alguém.

Por isso, toda oferenda, ritual ou solicitação de auxílio às divindades e aos guias e protetores espirituais deve ser precedida do ato de acender uma ou várias velas, pois suas ondas serão usadas no retorno e trarão a quem oferendou ou solicitou auxílio um fluxo energético natural (de elemento), ou Divino (de divindade), ou espiritual (do espírito guia).

Em magia, o uso de velas é indispensável, porque são elas que projetam ou captam as energias mais sutis, assim como abrem campos eletromagnéticos limitados ao campo ativo delas, mas que interpenetram outras dimensões, esferas ou níveis vibratórios.

Quando um desses campos eletromagnéticos é aberto magisticamente, ele permanecerá ativo até que seja fechado ou redirecionado contra quem o ativou. Isso caso seja uma magia negativa, pois caso ela seja positiva, não há por que fechá-lo, certo?

O fato é que a umbanda e outras religiões recorrem intensamente ao uso das velas e as usam:

Para iluminar seus altares e suas casas das almas ou cruzeiros;

Quando oferendam às divindades ou aos guias protetores;

Para magias positivas ativadas para cortar demandas, magias negras, feitiços, encantamentos etc.

Os resultados são ótimos e, na maioria das vezes, benéficos, pois só se beneficia realmente quem é merecedor, já que o uso das velas atende a necessidades religiosas regidas pela Lei Maior e pela Justiça Divina em seus recursos mágicos.

Magias negativas, tais como acender vela preta em cima do nome ou da fotografia de alguém; escrever o nome de alguém em uma vela e depois acendê-la de ponta-cabeça; acender velas para amarrar marido, amante ou namorado; acender velas para fechar os caminhos ou as portas de alguém ou para afundar-lhe a vida são entendidas como fraqueza ou negatividade de quem o faz e não demora muito para que a Lei Maior e a Justiça Divina providenciem os merecidos choques de retorno ou punições exemplares a quem recorre a essas magias condenáveis.

Tudo é só uma questão de tempo, pois se podemos agir positivamente, então nada justifica o mau uso que dão às velas e aos mistérios mágicos negativos que são ativados quando são acesas com interesses mesquinhos ou desumanos.

Cor das velas e seus respectivos Tronos

Trono Masculino da Fé vela branca

Trono Feminino da Fé vela branca ou azul-escura

Trono Masculino do Amor vela branca ou azul-clara

Trono Feminino do Amor vela rosa ou azul

Trono Masculino do Conhecimento vela verde ou branca

Trono Feminino do Conhecimento vela magenta ou vermelha

Trono Masculino da Justiça vela branca, marrom ou vermelha

Trono Feminino da Justiça vela laranja

Trono Masculino da Lei vela branca, vermelha ou azul-escura

Trono Feminino da Lei vela amarela

Trono Masculino da Evolução vela branca ou violeta

Trono Feminino da Evolução vela branca ou lilás

Trono Masculino da Geração vela branca ou roxa

Trono Feminino da Geração vela branca ou azul-clara

Observação : as velas brancas e douradas podem ser usadas para todos os Tronos.

Exemplo de uso

Magia para anular ou descarregar de uma casa todas as energias negativas acumuladas dentro dela.

1. Acenda sete velas comuns coloridas em círculo, nesta ordem: branca, azul-escura, vermelha, amarela, laranja, violeta e marrom. Devem ser acesas em sentido horário.

2. Façam esta oração:

Eu evoco Deus, evoco seus Divinos Tronos, evoco sua Lei Maior e sua Justiça Divina, assim como evoco os Tronos aqui firmados* e peço que, pelos poderes evocados, todas as energias negativas existentes dentro desta casa sejam anuladas, descarregadas e queimadas dentro deste círculo mágico das Sete Chamas Sagradas. Também peço que caso tenha dentro dela ou com as pessoas que aqui vivem, espíritos obsessores, desequilibrados ou sofredores, então que eles sejam puxados para dentro deste círculo e sejam encaminhados aos seus devidos lugares de merecimento, deixando de sofrer ou de nos perturbar. Amém.

* Esta é a evocação básica que todo mago divino utiliza antes de qualquer operação mágica. Por isso que a Magia Divina não tem um lado negativo.

Fonte: Magia Divina das Velas
Autor: Rubens Saraceni
Editora: Madras

Magia Divina

A Magia Divina não recorre à nenhuma prática contrária à Vida, à Lei Maior e à Justiça Divina. A Magia Divina, ou Teurgia, é uma Magia Iniciática ou Alta Magia que pode ser praticada pelas pessoas, independentemente da formação doutrinária ou crença religiosa delas. Não pede nada mais que a crença em um Deus Criador e a crença em Hierarquias Divinas regidas pelas Divindades.

A Magia Divina não tem um “lado negativo” e os seus praticantes não recorrem aos mistérios opostos aos mistérios da luz. Ela não é “dual” e não tem nenhuma possibilidade de ser invertida e usada para prejudicar a quem quer que seja. Aliás, condena-se veementemente o uso das “magias negras” por pessoas que têm nela um meio de extravasar de forma covarde e traiçoeira seus sentimentos de ódio, ciúme, inveja e afins, já que elas estão afrontando as Leis de Deus e os princípios da Vida e devem ser vistas com piedade porque ainda não desenvolveram uma consciência e são pessoas emotivas e instintivas.

Na Magia Divina só se evocam poderes Divinos sustentadores da Vida e dos meios onde ela se sustenta e evolui e, justamente por esse caráter, a Magia Divina é um refreador poderoso de todas as formas de “magias negativas”. Seus praticantes não se intimidam diante dos supostos poderosos magos das trevas encarnados ou não.

A Magia Divina traz em si os meios (forças e poderes) capazes de purificar de forma positiva os espíritos à margem da Lei Maior e, também, de anular gradativamente o negativismo e a maldade das pessoas que a praticam, pois as livra das hordas trevosas que tanto auxiliam com têm nessas pobres pessoas seus portais encarnados. Mas a Magia Divina não se destina só ao combate incessante às investidas dos espíritos trevosos, já que um Mago iniciado usa dos conhecimentos que lhe foram transmitidos durante as suas aulas iniciatórias e usa dos poderes Divinos perante os quais se iniciou para plasmar no lado etérico toda uma aura luminosa e protetora das pessoas que a ele recorrem.

Aos magos iniciados também é ensinado como curar espíritos sofredores “encostados” nas pessoas, realizando isso unicamente através de procedimentos magísticos, dispensando o “transporte” ou incorporação deles para que sejam beneficiados com o auxílio indispensável para que retomem suas evoluções. Os espíritos mestres da Magia Divina acolhem todos os espíritos curados e abrigam todos eles em moradas espirituais destinadas ao amparo e ao esclarecimento deles.

Mas um mago iniciado na Magia Divina realiza mais que isso e tem o conhecimento indispensável e outorga Divina necessários para atuar nos corpos espirituais das pessoas atendidas por ele, e é capaz de alcançar seus níveis mais profundos e realizar “cirurgias espirituais” durante as quais são retirados desses corpos profundos “inclusões” nocivas ao bem-estar delas.

Todo o trabalho magístico realizado por um Mago praticante da Magia Divina visa ao benefício das pessoas atendidas por ele.

Assim, a Magia Divina é um bem Divino, colocada à disposição de todos os que desejarem praticá-la com fé, amor, respeito, confiança e determinação. Com sua dinâmica própria, adapta-se às necessidades dos seus praticantes, não obrigando ninguém a renunciar ao seu modo de ser, pensar ou agir.

No estudo da Magia Divina, o iniciado é “apresentado” a Deus e às suas divindades, e na sua iniciação consagra-se a Ele como Seu servo, Mago e instrumento de Sua Lei Maior e da Sua Justiça Divina, sempre pronto para serví-lO quando for necessária a sua atuação magística.

O Mago praticante de Magia Divina é um servo de Deus, da Sua Lei Maior e da Sua Justiça Divina e, consciente disso, não espera para si maiores benefícios que os que Ele concedeu-lhe quando o criou. E não alimenta o sentimento de superioridade porque sabe que não o é em momento algum ante os olhos de Deus.

Um praticante da Magia Divina sente-se um irmão da humanidade e trabalha magisticamente em benefício dela, não esmorecendo em momento algum e não se deixando abater ante as dificuldades e os infortúnios que visam prová-lo e a desenvolver a boa têmpera, indispensável a todo servo de Deus e instrumento da Sua Lei Maior e da Sua Justiça Divina.

A Magia Divina é a manifestação de uma poderosa vontade superior, emanada pelo Divino Criador e por Suas Divindades, vontade essa que foi trazida dos mais elevados níveis vibracionais da criação por um grupos de espíritos ascencionados liderados pelos amados mestres Magos da Luz, sempre amparados pelas Divindades emanadoras dessa vontade superior, e que são os sagrados Tronos de Deus!

Os graus da Magia Divina são em número de 77 mas serão descritos apenas 22 :

· Magia das Sete Chamas Sagradas

· Magia das Sete Pedras Sagradas

· Magia das Sete Ervas Sagradas

· Magia dos Raios Sagrados

· Magia das Sete Espadas Sagradas

· Magia do Tempo

· Magia Telúrica

· Magia Eólica

· Magia das Sete Cruzes Sagradas

· Magia dos Sete Escudos Sagrados

· Magia Aquática

· Magia dos Gênios

· Magia dos Elementais

· Magia Energética

· Magia das Sete Lanças Sagradas

· Magia das Sete Flechas Sagradas

· Magia do Pó

· Magia Angélica

· Magia Arcangélica

· Magia das Sete Estrelas Sagradas

· Magia das Sete Pembas Sagradas

· Magia dos Sete Triângulos Sagrados

O primeiro grau fundamental é a Magia do Fogo ou Magia Divina das Sete Chamas Sagradas. Sua simplicidade e facilidade de apreensão são as responsáveis pela sua receptividade entre os adeptos da Magia, e a sua praticidade abre as portas para seus praticantes trabalharem com ela onde quer que estejam, já que dispensa paramentos e rituais que dificultariam sua aplicação.

O Mago praticante da Magia Divina é alguém que trabalha onde deseja, já que ele é o elemento ativo dessa Magia. Ele é o seu depositário; é o seu ativador e é o instrumento da Lei Maior e da Justiça Divina, praticando-a onde e quando achar necessário.

Fonte: O Código da escrita Mágica Simbólica
Autor: Rubens Saraceni
Editora: Madras

Magia

Inicialmente, o que é magia? Entre tantas interpretações, magia é o ato de evocar poderes e mistérios de Deus e colocá-los em ação. Do mesmo jeito que a ciência evoca os “poderes” da física – que é um mistério da natureza – e os põe em ação através da engenharia. Da teoria elétrica sai a engenharia que fabrica computadores. Analogamente, da teoria divina sai a magia.

Assim, percebemos que a magia, contrariamente à religião, não obriga os seus adeptos a crerem em determinados dogmas para serem aceitos como magos. Ninguém é obrigado a crer na – ou mesmo entender - física para utilizar de seus benefícios : quantos de nós usamos telefones celulares sem sequer saber o que se passa por trás de todo esse mecanismo? E só por causa disso, a física deixaria de funcionar? É claro que não! A física funciona independente de nossa crença ou entendimento. Assim também o é com a magia.

Deste modo, a magia “x” não é rival nem se acha dona da verdade em relação à magia “y”. Apenas abordam conceitos diferentes mas não obrigatoriamente divergentes.

No entanto, a magia trabalha com o íntimo de cada ser, com suas faculdades mentais a saber : fé, ou força de vontade, e moralidade – ou polarização.

Quanto maior a sua fé na magia, mais ela se intensifica.

Quanto maior a sua moralidade, mais ela se polariza.

Talvez me perguntem : “mas você não disse agora há pouco que magia não é religião?” Exatamente! Eu posso ser um mago umbandista, um mago católico (como Eliphas Levi), um mago muçulmano, um mago judeu (os cabalistas) ou até mesmo – pasmem! – um mago ateu. Se bem que os magos ateus são aqueles magos inconscientes de seu próprio poder de realização.

A magia não te obriga a crer, você crê por si mesmo na magia.

Ora, então o que é fé? Fé é a crença ou certeza de que algo agirá conforme suas aspirações mesmo sem ter como provar o fato.

Moralidade, ou polarização, é a tendência a um dos grandes pólos universais : yin ou yang, luz ou trevas, bem ou mal.

Assim temos várias combinações : uma pessoa com muita fé, porém negativa, acaba se tornando um poderoso mago das trevas. Uma pessoa com pouca fé, porém positiva, acaba se tornando um medíocre mago da luz. E por aí vai.

Chegamos então ao divisor de águas, pois o mago de verdade - ou seja, aquele sintonizado com as Forças Supremas - é aquele que utiliza a sua fé poderosa conforme os desígnios da Lei Maior e da Justiça Divina.

O que diz a Lei Maior? “Cada um pode semear o que quiser, mas com certeza colherá os frutos de suas semeaduras, sejam doces ou amargos.”

O que diz a Justiça Divina? “Quem deve paga, quem merece recebe.”

Como não é nosso propósito ensinar a polaridade negativa – pois o mundo já está cheio dela e por causa dela o mundo já está de “saco cheio” – ensinaremos então um pouco da Magia Divina em um outro artigo.

Fonte:
André Moura "Servo do Supremo"
Texto com trechos do livro:
Magia Divina das Velas
Autor: Rubens Saraceni
Editora: Madras

Divindades de Deus

As Divindades são mistérios e não devemos entendê-las segundo nosso antropomorfismo, que as descreve à imagem dos homens.

Sim, as religiões antigas deram às divindades descrições muito “humanas” e quando falamos que elas são mistérios Divinos, muitos tendem a imaginá-las “humanamente”.

Quando falamos em mistério como sinônimo de Divindade de Deus, estamos nos referindo à manifestação d´Ele nos seus mistérios Divinos, tanto os criadores quanto os sustentadores da criação e dos seres.

Uma Divindade transcende nosso conceito humano e é, em si, uma manifestação (um mistério) do Divino Criador, e que independe de nossa vontade para existir e atuar em toda a criação por meio de uma “freqüência” só sua, pela qual flui seu poder realizador. Uma Divindade não atua só sobre nós, que vivemos no plano material. Ela atua em toda a criação, tanto no lado material quanto no espiritual, em suas muitas dimensões e planos da vida, que se espalham por todo o universo, infinito em todos os sentidos.

O que muitos pensam ser um mistério são só seres de natureza Divina manifestadores dos mistérios. O mistério da fé não tem feições porque é o que é : o mistério da fé do nosso Divino Criador, e é, em si, uma das manifestações d´Ele, o Senhor dos mistérios.

Mas muitos são os seres de naturezas Divinas que manifestam esse mistério da fé do nosso Divino Criador.

Os mistérios do amor, do conhecimento, da justiça, da lei, da evolução e da geração não têm feições humanas ou outra qualquer, pois são em si mesmos manifestações do nosso Divino Criador. Mas muitos, muitíssimos mesmo, são os seres de natureza Divina que manifestam esses mistérios.

Esses seres Divinos nós denominamos Divindades manifestadoras dos mistérios do nosso Divino Criador.

As hierarquias das divindades são muitas e tão numerosas que nunca saberemos o número de seres Divinos agregados a cada uma delas, já que as encontramos desde o nível vibratório mais próximo da nossa vibração “terra” até os níveis mais elevados da criação.

Em todo nível, dimensão ou plano da vida elas estão presentes, ativas e atuantes, regendo tudo e todos, indistintamente.

Fonte: O Código da escrita Mágica Simbólica
Autor: Rubens Saraceni
Editora: Madras

sexta-feira, 9 de maio de 2008

A Cabala

Para compreendermos o que é Cabala precisamos primeiro definir o que é ocultismo

O OCULTISMO é o estudo do espírito e da matéria, de DEUS e da humanidade, das origens e do Destino. é a verdadeira ciência da vida. Não há nenhum dogma no ocultismo, mas há um certo número de hipóteses, como em qualquer ciência.

Os OCULTISTAS, julgam que " nada existe sem um propósito" ; eles argumentam que deve haver um " PLANO SUPERIOR' para a criação e evolução do Universo, que abrange as galáxias e os sistemas solares, os sóis e os planetas, os átomos e as plantas, os animais e toda a humanidade.

Dentro deste PLANO SUPERIOR estão os incontáveis PLANOS SECUNDáRIOS de toda a Criação, cada qual entrelaçado e inter-relacionado num todo orgânico.

Todo o ocultista, conhece as Leis de Hermes Trismegisto, ou Leis Herméticas. São estas Leis que foram encontradas escritas nas famosas tábuas esmeraldinas, nas Pirâmides do Egito, e nada mais são do que leis que atualmente a física tradicional somente confirma. Elas explicam as regras que regem toda a criação, e são os preceitos que auxiliam todo o ocultista no caminho da Verdade.

Uma dessas Leis é a LEI DO KARMA, ou Lei de Causa e Efeito. Assim diz o Caibalion "Toda Causa tem seu Efeito; todo Efeito tem sua Causa; todas as coisas acontecem de acordo com a Lei; o Acaso é simplesmente um nome dado a uma Lei não reconhecida; existem muitos planos de causalidade, mas nada escapa à Lei" * Toda a ação física, ou ação mental ( pensamento), retorna ao seu ponto de origem, como um bumerangue. A evolução prossegue sempre sob esta lei, e a experiência física (a re-encarnação) é apenas uma pequena parte dela.

Para entendermos este principio de evolução , esta Lei que rege todo o Mundo visível e invisível, é que devemos estudar o que os judeus chamam de ‘Cabala" ou a "ARVORE DA VIDA" ou KABALAH.

Na tradição ocultista ocidental usamos um glifo, um conjunto de símbolos representativos desta Arvore, e seu estudo pratico, a meditação em seus símbolos e também o trabalho oculto prático (magia) proporciona ao estudante a compreensão sobre esta Lei, e todas as outras Leis Hermeticas (Caibalion*).

Muitos destes símbolos usados são Arquétipos, isto é, "conjuntos de símbolos" que foram definidos pelo psicólogo alemão Gustav Jung, como sendo a fonte que a nossa mente utiliza para chegar a uma definição, e que é comum a todo o gênero humano. Estes arquétipos são atemporais, e remontam à mais antiga memória da humanidade.

A MAGIA

A Cabala é indispensável ao Mago, e todo o Mago é Cabalista. . A Magia é a arte de aplicar causas naturais para provocar efeitos surpreendentes. Existem dois caminhos para efetuar esta Magia, uma é a oriental Yoga, que, fazendo o vazio na mente, através da meditação e outras práticas físicas, procura alcançar a iluminação e a união com Deus. é uma fórmula mais passiva, e principalmente, subjetiva, que necessita de uma prática as vezes difícil para um ocidental.

No ocidente o Mago, mesmo pedindo ajuda à Yoga, utiliza o conhecimento das Sete Leis Herméticas aplicadas ao conhecimento da Cabala. Desta forma ele podes ter o controle sobre sua própria natureza, controlando cada elemento do seu corpo físico pela exercício da VONTADE.

O Mago faz este caminho, quando se sente seguro para exercer este domínio, através da LUZ ASTRAL. E deve faze-lo, principalmente por 3 motivos :

1º - na LUZ ASTRAL ele vai encontrar um reflexo exato de si mesmo, do seu SELF, em todas as suas partes e qualidades e atribuições, e um exame deste reflexo, tende naturalmente a um "auto-conhecimento".

2º - a definição de LUZ ASTRAL, do ponto de vista da Magia é bastante vasto e encontra-se no Mundo de Azoth, Mundo que é compreendido entre o mundo físico e o mundo espiritual. Por isto a Luz Astral é uma "ponte" entre os dois mundos.

3º - antes de transpor esta porção do mundo invisível, deve ser conhecido e dominado cada aspecto. O Mago, deve submeter à sua vontade todos os elementos de uma esfera (Sephira) que lhe obedecerão de maneira INEQUIVOCáVEL, porque no MUNDO REAL, os símbolos são representações arbitrárias de uma experiência ordinária, mas no MUNDO ASTRAL, estes símbolos assumem uma existência real, uma realidade tangível, e por isso são da maior importância.

As Evocações e Invocações então não são feitas pelos magos por curiosidade, mas com o único objetivo de trazer estas facetas ocultas ( símbolos) para a sua consciência para, com sua VONTADE, exercer o seu DOMíNIO.

A palavra CABALA (KABALAH) vem do hebraico QBL, CABAL que significa ( segundo alguns) "receber". Assim a Cabala seria "Aquilo que foi recebido". Dizem que os Rabinos a receberam dos Anjos, dizem que Moisés a recebeu de Deus, mas sua semelhança com o ZEND AVEST de ZOROASTRO indica que os Judeus podem ter recebido seus princípios da mesma fonte que inspirou ZOROASTRO. OTZ CHIIM, ou a ARVORE DA VIDA, é na verdade a Arvore do Bem e do Mal, a Arvore do Conhecimento, citada no Antigo Testamento. Ela é conhecida também como Escada de Jacó.

* - O Cabalion é um livro Editado pela Editora Pensamento

Graziella Marraccini

Astróloga - Taróloga e Kabalista

Fonte: www.astrosirius.com.br

Astrologia Árabe

Por: Alessandra Meirelles
Sempre imaginamos que a astrologia vem sempre dos países ocidentais, ...mero engano. Os povos árabes há séculos inventaram um estudo completo sobre astrologia, baseado na numerologia, no zodíaco e na geomancia (segundo alguns árabes do deserto, o estudo da geomancia significa: "ciência da areia").
A Astrologia Árabe nasceu na Suméria, região que corresponde à baixa Mesopotâmia, nas costas do Golfo Pérsico, e seus primeiros estudos e presságios foram gravados em tabuinhas (o sumério é a mais antiga língua escrita e suas anotações eram feitas em tábuas pequenas de pedra), mas só na Idade Média é que se expandiu por todo Oriente Médio e Europa. Seus três métodos são simbolizados por armas, armaduras e figuras geomânticas que poderemos conhecer através de simples cálculos. De seus resultados, você descobrirá traços escondidos de sua personalidade, fazer previsões e encontrar respostas para as suas questões, sejam elas abstratas ou concretas. Interessante, não?
Para começar nosso estudo sobre a Astrologia Árabe, vamos dividi-lo em três partes. A primeira será a Numerologia Árabe, que será revelada na edição deste mês. Já o zodíaco e a geomancia serão discutidos nos próximos meses. Então prepare-se, pegue um bloquinho e uma caneta e descubra através da Numerologia Árabe, qual é a sua armadura e qual é o seu caminho de vida.

NUMEROLOGIA ÁRABE
* Armadura *
São nove armaduras diferentes, que dão as indicações sobre o nosso comportamento, nosso modo de atacar ou nos proteger dos desafios da vida.
Faça o seguinte cálculo:
a) Escreva os números correspondentes ao dia e o ao mês do seu nascimento;
b) Some as duas cifras;
c) Depois faça a somatória das cifras obtidas da soma anterior.
O resultado é o número de sua armadura, que estão numeradas de 1 a 9.
Exemplo: Você nasceu em 15 de novembro
15+11 = 26 (soma das duas cifras)
2+6 = 8 (somatória das duas cifras), portanto a sua armadura é simbolizada pelo número 8.

Significação das armaduras

1.Seu planeta é o Sol. Você prefere atacar a se defender e, preferivelmente, comandar a obedecer. Independente e empreendedor, você toma a iniciativa e arrasta os outros atrás de si com um belo entusiasmo, afinal, liderança e decisão são suas principais características. Seu ponto forte é a coragem e seu ponto fraco é sua suscetibilidade, diplomacia também não é o seu forte.

2.Seu planeta é a Lua e você para se defender, pratica a política do avestruz e procura por todos os meios de esquivar ao combate. Equilibrado, tranqüilo, doce e paciente, as provações o fazem, de princípio, se afastar ou problema, pois você trata rapidamente de encontrar o entendimento. Seu ponto forte é a diplomacia e seu ponto fraco é um desinteresse visível de encarar o esforço. Bastante emotivo, tem uma necessidade enorme de ser amado e teme bastante a solidão.

3.Seu planeta é Júpiter. Hábil, inteligente, intuitivo e imaginativo, suas batalhas são travadas em seu cérebro, cheio de grandes idéias. Você pensa muito mais do que age, mas é um refinado estrategista e é de grande utilidade para organizar e tratar de combates. De temperamento alegre e charmoso, você tenta sempre arranjar as coisas e aparar as arestas. Deve trabalhar com artes ou estética, terá sucesso. Seu ponto forte é a criatividade e o fraco é uma tendência a querer agradar a todos.

4.Seu planeta é Saturno. Equilíbrio, paciência e realidade são suas palavras preferidas. Calmo, mas com bastante sangue-frio, você é um companheiro ideal num campo de batalha. Possessivo, obstinado e perseverante, você jamais se afasta do caminho que traçou para sua vida, mesmo eles sendo difíceis e distantes. A família é de extrema importância para você e torna-se agressivo quando tem a impressão de que algo ameace a sua segurança. Seu ponto forte é a sua força de vontade e seu ponto fraco é sua falta de fantasia.

5.Seu planeta é Mercúrio. Você nunca ficará muito tempo num mesmo combate, pois gosta de mudanças e diversidades. Nenhuma âncora o fixa e nenhum ponto o retém, mas os horizontes longínquos o fascinam... De espírito leve e detalhista, acredita que tudo têm dois pesos e duas medidas, sendo imparcial na maioria das vezes. É de fato uma de suas grandes qualidades, mas também acompanha um dos seus maiores defeitos: você julga muito superficialmente tanto um lado como o outro. Você é rápido demais, interessado, mas jamais aplicado. Cuidado no fim da vida, pois poderá ocorrer o risco de se sentir só.

6.Seu planeta é Vênus e seus únicos valores que lhe farão entrar numa guerra são a família e o cotidiano doméstico. Você tem uma fase de ordem: "Qualidade de vida acima de tudo". Ambição, poder e riqueza não fazem a sua cabeça, pois sabe que eles não trarão felicidade a você. Seu temperamento é calmo e amigável, mas sua emotividade pode fazê-lo passar rapidamente do riso às lágrimas. Deve investir em tarefas rotineiras e meticulosas que deixarão seu espírito livre para se consagrar àquelas coisas que você mais gosta.

7.Seu planeta é Urano e você é acima de tudo um pensador, um intelectual, daqueles que vivem as batalhas no papel, no estudo. Observador, reflexivo e solitário, é no isolamento e no silêncio que seu trabalho rende mais, conseguindo os resultados esperados. É certo que você seja sensível e até apaixonado, mas seu espírito introspectivo o impede de expandir seus sentimentos livremente. Nas batalhas costuma analisar demonstrações românticas. Gentil, mas tímido, jamais procura companhia e conserva poucos amigos. O dinheiro raramente o interessa e o único poder que você desdenha é o oculto.

8.Seu planeta é Marte, fazendo você ser bastante realista, lúcido e bastante atento a tudo que acontece. O dinheiro o tenta, tanto por ele mesmo quanto pelo poder que ele permite, já que você é muito ambicioso e está disposto a tudo para satisfazer seus desejos. Faro para bons negócios, seus pontos fortes são uma grande obstinação combinada com grande energia, mas esse também é seu ponto fraco, pois o torna rancoroso e pouco aberto a tudo que o afasta de seus interesses pessoais. Aqueles que lhe são próximos jamais terão falta de nada, a não ser de sua ternura... Procure expressá-la mais vezes.

9.Seu planeta é Netuno e a tolerância, a generosidade e o desinteresse são as chaves de seu comportamento. Além de um lado utópico, sonhador e, mesmo até nebuloso. No combate com a realidade, suas armas são fracas, pois resiste pouco aos obstáculos materiais, querendo tudo rapidamente. Você se entusiasma tão rápido quanto perde a coragem. Seu ponto forte é uma notável capacidade de dedicação e seu ponto fraco reside no seu flutuante e velado humor. Deve se integrar com a religião, pois dorme em você um santo...

Caminho na vida *
Além de conhecer sua armadura, que indica quais são suas principais defesas e características, a Numerologia Árabe também nos permite descobrir qual é o nosso destino, ou seja o nosso "caminho na vida". Para encontrá-lo vamos usar a mesma metodologia, só que um pouco maior. Veja:

a) Escreva a data completa do seu nascimento;
b) Adicione os números correspondentes ao dia, mês e ano de seu nascimento;
c) Acrescente uma por uma as cifras assim restantes e, em seguida, adicione uma à outra as cifras que restarem.
Exemplo: Você nasceu em 29 de novembro de 1932
29+11+1932 = 1972
1+9+7+2 = 10, seu caminho na vida corresponde a 10.

IMPORTANTE: Caso seu resultado for 11 ou 22, não os reduza, pois se trata de números especiais que têm significados próprios também.
Descrição do caminho de vida

1 - Realização
Este caminho é difícil, pois aquele que o trilha não pode contar com seus próprios recursos, e deverá pagar muito caro por seus erros. É uma rota muito solitária, que reclama independência, coragem e individualismo. Mas que, ao final, traz consigo o êxito pessoal, a realização das ambições e o sucesso. Se você tomar esse caminho poderá se tornar um chefe com a condição de jamais contar com os outros.

2 - Relacionamentos
Assim como o número que o simboliza, sua rota só pode ser percorrida a dois. Ela é pacífica, bucólica, ladeada por belas paisagens. Pode-se, nela passear, parar sem medo para se fazer um piquenique ou escutar os pássaros cantarem. Qualquer parada pode chamar amor, amizade, equilíbrio, bondade, harmonia. Mas aqueles que enveneram por esse caminho raramente têm iniciativa de tomar decisões, de tal maneira sua vida está subordinada aos outros.

3 - Alegria de viver Esse caminho não é tão ameno e fácil como parece, assim logo de princípio. Devido aos seus inúmeros cruzamentos que têm, cada um oferecendo uma oportunidade de se perder ou gastar energias explorando em vão... Se esse é seu caminho, você uma existência animada e cheia de acontecimentos. A sorte lhe sorrirá, mas por pouco tempo e lembre-se que seus dons estão ligados à estética e à beleza.

4 - Esforço A conquista jamais lhe chegará por ela mesma. Você terá que lutar obstinadamente para vencer e conseguir os bens materiais e a segurança para você e os seus. Não terá tempo para passear nem para descansar, mas seus esforços encontrarão recompensa na confiança, no reconhecimento de seu valor e na satisfação de dever comprido.

5 - Liberdade Você conseguirá por uma rota em ziguezague, como numa montanha-russa, cheias de nuanças e de variedades, onde as paisagens se renovarão a cada momento. Caberá a você diversificar as experiências e os encontros, escolher as aventuras, descobrir novos horizontes. Se você aceitar essa instabilidade e procurar a novidade em vez de perseguir com angústia, o seu sucesso inesperado.

6 - Responsabilidade Levado pelas circunstâncias, você fará, muitas vezes, o papel de conciliador e de intermediário, tomando importantes decisões. Em seu caminho, você encontrará ocasiões em que poderá galgar rapidamente os escalões do poder e da glória. A sorte sorrirá também no plano sentimental, agraciando-o com uma vida familiar excelente e um casamento feliz. Tudo isso implica que você raramente ficará tranqüilo, sendo solicitado toda hora.

7 - Sabedoria É um caminho solitário e você encontrará a paz de espírito, a harmonia interior, o conhecimento, com a decisão de não procurar a companhia de seus semelhantes, pois eles lhe farão duvidar de seu caminho, já que ele não costuma ser muito trilhado. Suas paradas serão mais nos mosteiros do que nos hotéis. Será apaixonado por filosofia, ocultismo, literatura, religião... Os outros lhe confiarão seus penas, e você raramente terá tempo para se consagrar aos seus prazeres pessoais. Mas sua vida será rica, apaixonante, permeada de encontros excepcionais e desprendidos.

8 - Materialidade Haverá em sua vida muitas ocasiões em que você poderá enriquecer, sabendo servir-se do dinheiro para justificar seus instintos de poder e autoridade. É certo, porém, que também haverá obstáculos em seu caminho, mas sua coragem o ajudará a contorná-los. Cuidado apenas, para não deixar a ambição sobrepujar as outras coisas de sua vida. Algumas vezes acontecerá mudanças radicais em sua direção, e cada vez que isso acontecer, sua ascensão será rápida, até mesmo espetacular.

9 - Grandes distâncias Há muitas chances de você fazer grandes viagens, seja pelo mundo, seja dentro da sua própria cabeça... graças a uma imaginação sem limites. Você só se deterá para socorrer os outros, pois possui qualidades como bondade e compreensão. Inteligente e sonhador, com freqüência culto, você pouco se incomodará com o sucesso que lhe vier repentinamente.

11 - Inspiração Seu destino o levará a viver situações de exceção, sendo portador, mesmo que não saiba, de conhecimentos adquiridos em existências anteriores, que deve transmitir. A revelação acontecerá ao longo de sua vida e você deverá igualmente lutar à tentação de deixar o mundo entregue a seus próprios erros, assim como resistir a aproveitar de sua inteligência para angariar fortuna. Porque isso se virará contra você caso mantenha uma atitude altiva e distante desse dom.

22 - Construção Você veio à Terra para realizar grandes projetos e sua vida será subordinada a isso, não tendo tempo sequer para se dedicar aos seus sonhos. O mundo o chamará constantemente e você deverá se precaver contra uma tendência à dispersão quando se deparar com um acúmulo de possibilidade. Destino forte e especial.

Astrologia Chinesa

Admite-se que a Astrologia Chinesa remonte a mais de 2.600 anos antes da nossa era. No seu Dicionário Prático de Astrologia, Catherine Aubier, cita um texto do século II a.C. que fornece preciosas indicações acerca da importância dos astrólogos imperiais: - Este alto senhor deve observar as mudanças e os movimentos dos planetas, do Sol e da Lua, a fim de predizer a boa ou a má sorte. Divide o território das nove províncias em função dos corpos celestes dos quais recebem influência.
Todos os feudos e principados estão em relação com os astros, o que permite predizer a prosperidade ou a desgraça. Ele estabelece os seus presságios segundo os doze anos do ciclo de Júpiter... Acrescente-se que, em 444 a. C., os astrólogos chineses calcularam a duração exacta do ano solar (325,25 dias) e, dois séculos mais tarde, foram os primeiros a observar o Cometa Halley. A partir de 28 a. C. descobriram os movimentos das manchas solares, desconhecidas no Ocidente até ao tempo de Galileu.

Segundo uma antiga lenda, Buda convocou todos os animais para a celebração do Ano Novo. Porém, apenas doze compareceram às festividades. à maneira que foram chegando, Buda atribuiu-lhes um ano: - Rato, Búfalo, Tigre, Gato, Dragão, Cobra, Cavalo, Cabra, Macaco, Galo, Cão e Porco.

Fonte: www.astrologia.sapo.pt

Astrologia - Os Astros e Você

Imagine o mundo mesopotâmico por volta de 3.000 AC. é exatamente neste ambiente que o homem encontrou na vastidão do céu um poderoso instrumento de orientação e observação. O princípio básico do que conhecemos hoje como Astrologia.

Mistério para alguns, fonte de pesquisas e estudos para outros e pura “crendice” para outros tantos, o estudo Astrológico segue seu caminho como uma poderosa ferramenta de auto conhecimento através de milênios.

A astrologia nos ensina que existe simetria e harmonia no universo e que somos parte de um todo. Sendo assim devemos tentar entendê-la como uma filosofia que ajuda a explicar a vida. O propósito básico da astrologia é ordenar o aparente caos de experiências do homem, é ajudá-lo a conquistar o seu grau mais elevado de integração, estabelecendo uma abordagem da vida humana e a compreensão do seu comportamento vital.

Na Idade Média os sábios matemáticos daquela época (entre eles, Hipocrátes, Ptlomeu, Copérnico, Albert Einstein) não desejavam de forma alguma enfrentar as fogueiras da inquisição ou serem confundidos por compactuar com outros estudiosos que enxergavam nos céus e no posicionamento dos planetas correspondências com o destino do homem.

A Astrologia leva em consideração as coordenadas de tempo e espaço de um indivíduo – dia, mês, ano e hora do nascimento e local (cidade, estado, país) onde o mesmo nasceu. E o astrólogo tem a função de um consultor que traduz para seu cliente quais são os caminhos mais seguros para determinadas finalidades e mostrar através do “Mapa Astral” elementos básicos sobre uma personalidade – como sente; como percebe o mundo em sua volta; como lida com o mundo material; com a família, com os amigos, com o par amoroso, com os estudos, com o trabalho. Quais são as suas formas de ação, de retração; quais são seus medos e suas virtudes.

Na época em que foi criada a astrologia, acreditava-se em características divinas destes astros ( deuses), daí a crença de influenciarem nos desígnios da Terra e das pessoas. Atualmente, com as descobertas científicas sobre estrelas ,planetas, suas constituições físicas e leis do movimento tratam-se de uma incoerência imensa associar características pessoais, predestinação, ou outras influências nas vidas das pessoas.

Neste século Dane Rudhyar denomina a Astrologia como uma álgebra da vida, e outros autores vêem nela uma interpretação do mundo da psique.

O debate “Astrologia ciência ou pseudociência” vem ocorrendo há pelo menos três séculos, contando com renomados cientistas em ambos os lados do “muro”. Einstein, por exemplo, não acreditava na possibilidade quântica; no entanto, o avanço do campo científico provou que ele estava errado.Em sua Teoria da Sincronicidade, Jung coloca que todos os fenômenos da natureza (phisys e psyché) têm como pano de fundo a manifestação de um arranjo sem causa, se as pessoas cuja instrução deixa a desejar, acharam que poderiam até hoje, zombar da Astrologia, considerando-a uma pseudociência há tempos liquidada, esta Astrologia, ressurgindo das profundezas da alma popular, novamente apresenta-se hoje, ás portas de nossas universidades, que ela deixou há três séculos.

Tipo de percepção e temperamento pela Astrologia.

Os quatro elementos: Fogo, Terra, Ar e Água: correspondem ao plano emocional, mental, material, espiritual, respectivamente.

Fogo (Leão, Áries, Sagitário).

A vida é um oceano de infinitas possibilidades a explorar. Tirem-lhe as chances e eles entram em pânico. Segurança demais lhe sufoca. Fama de irresponsável, porque não gosta de ser aprisionado nem gosta de dar explicações.Para ele o importante é SER.

Terra (Capricórnio, Touro, Virgem).

É prática, concreta, vê a utilidade das coisas. Como a lei da gravidade atrai objetos para a Terra, onde o chão é sólido e seguro.

A Terra só acredita no que vê. Ignora todas as visões, os sonhos, o grandioso.

Ar (Libra, Aquário, Gêmeos).

É igual a pensar. Descartes disse: penso logo existo. Ar é o elemento mais humano, capaz de criar sociedades, fazer uniões e relações. Tem como característica a objetividade, capaz de ver o ponto de vista do outro mesmo quando zangado, por isso sabe lidar com as decepções de maneira filosófica.

Água (Escorpião, Câncer, Peixes).

É o sentimento. Às vezes indica um comportamento ambíguo, irracional e mágico. Sua linguagem é a do coração, tem dificuldade de explicar algo racionalmente e se pressionado ou silencia ou fala absurdos.

Signos

Libra (Ar) 23 de setembro a 22 de outubro

Busca constante da harmonia e do equilíbrio entre o eu e o outro. Cooperação, senso de justiça, busca pelo Bom, o Belo e o Verdadeiro. São encantadores, apreciam a vida social ativa, para eles é muito importante serem apreciados. Tendem ser ingênuos (principalmente na adolescência) querendo ser tudo para todos. Possuem um senso de cor e equilíbrio bastante desenvolvido, talvez por isso que gostem de tudo que seja refinado.

Leão (Fogo) 22 de julho a 22 de agosto

Auto-estima positiva, infelizmente se for exagerada pode tornar-se egoísta e arrogante. Luta para ser o centro das atenções, afinal é um rei, tem a sua dignidade e o seu orgulho, não pode ser comparado com qualquer um esta aí para ser admirado e aplaudido. Por isso vai se sentir bem numa posição de destaque: a glória é mais importante que dinheiro. Dinheiro qualquer trabalhador consegue, a glória é para eleitos. Extrovertido e radiante é capaz de injetar vida onde toca, porém quando o Leão se reprime, significa doença séria para esse signo. Esse Leão tem medo, é impotente, se sente literalmente achatado, tornado-se um fracassado sentindo vergonha do vazio da sua existência e da mediocridade em que se colocou.

Virgem (Terra) 23 de agosto a 22 de setembro

Organização, busca pela perfeição, crítica e funcionalidade. Uma das suas dificuldades é a manifestação de sentimentos pessoais, por esse motivo precisam de amor, afirmação e aceitação. Nasceu para servir, seu papel pode ajudar o líder, mas não para enfrentar ou se expor. Não suporta pressões e prefere se adaptar ás circunstâncias. Sabe seguir regulamentos, corrigir situações, ter senso de valor de economia. É seu grande mérito pegar algo feio e transformar em brilhante. É seu grande defeito achar que sabe mais que todo o mundo.

Câncer (Água) 21 de junho a 21 de julho

Sensibilidade, intuição, imaginação. Eles absorvem qualquer energia e sentimentos que existirem no ambiente: eles sentem o que os outros estão sentindo. A ligação com o lar ou a família é muito grande.Câncer é SENTIR. Precisa ter preenchimento emocional, sentir-se parte de alguma coisa ou se rodear de coisas materiais para manter essa segurança.

Gêmeos (Ar) 21 de maio a 20 de junho

Curiosidade, esperteza, versatilidade. São brilhantes, rápidos e ativos. Com eles, não existe um minuto de tédio. Não conseguem prestar atenção em uma única coisa por muito tempo, mas absorvem tudo com muita rapidez. As coisas são muito complicadas, para isso, Gêmeos vai usar sua habilidade intelectual para pensar, analisar e concluir, sejam concretas ou abstratas. Gêmeos é CONHECER. A energia positiva aparece na necessidade de se comunicar, a má aplicação desta, pode ocasionar um aprisionamento em si mesmo: sem movimento.

Sagitário (Fogo) 22 de novembro a 21 de dezembro

Expansão, estratégia, visionarismo. Encaram a vida de forma direta, são honestos não hesitando em revelar o que estão pensando. Raramente são tímidos. Seu lema é “não me prenda”. A melhor forma de lidar com eles é permitir que eles assumam o comando sempre que possível. Sagitário não se contenta com pouco, seu propósito na vida é atirar a seta numa distância e perseguir esse alvo. Capaz de aventurar-se numa viagem cheia de novidades, tendo oportunidades para se arriscar e ousar. Quando chega no esperado, não há mais interesse, partindo para novas descobertas. Por isso a dificuldade de prender-se aos laços familiares e as obrigações. Adoram viagens e esportes e principalmente a liberdade, portanto, não seja ciumento.

Capricórnio (Terra) 22 de dezembro a 20 de janeiro

Capricórnio é socialmente orientado: o mundo define o que é certo, seguindo sempre essas regras e a tradição. É a ordem estabelecida, o que é real, a prática e não a teoria. Por isso é considerado o pilar da sociedade, onde o respeito á autoridade é imprescindível. Considera as situações e faz deduções, jamais adivinha. Quando alguma coisa vai mal se retira. Disciplinado, introvertido, com um humor sutil, leva a vida como um negócio muito sério, se importando com ás opiniões alheias. É um idealista com uma visão de quem quer melhorar o mundo. Recusar seu conselho é ofende-lo gravemente.

Escorpião (Água) 23 de outubro a 21 de novembro

Magnetismo, desconfiança, perspicácia. Não gostam de demonstrar fraqueza. Tendem a ser vingativos, portanto, ensine-os a perdoar. Não tentem engana-los, iludi-los ou manipula-los. Transforme-os em aliados e você será protegido por sua força e terá sua lealdade por toda a vida.

Aquário (Ar) 21 de janeiro a 19 de fevereiro

Radicalismo, originalidade, intempestividade. Agem com a lógica e o intelecto. São independentes e não precisam de aprovação. Isso faz com que se sintam bem fazendo as coisas á sua maneira, sem se preocuparem com o que os outros pensam. Têm idéias próprias a respeito de quase tudo, você terá que ser criativo para eles mudarem de opinião. São autênticos e curiosos. As mulheres são encantadoras ao lado das librianas, são as mais bonitas do zodíaco. O que ela diz acaba se tornando verdade, sendo talvez um pouco de mágica.

Áries (Fogo) 21 de março a 20 de abril

Liderança, coragem, fidelidade, precipitado, entusiasmo. Áries é por natureza impaciente, destemido e agressivo. É direto, franco e rude. Como o ariano não gosta de rotina, você terá de encontrar constantemente novas maneiras de fazer as coisas. Para conviver com ele, é preciso amar o que ele ama, e odiar o que ele odeia sem meio termo.

Touro (Terra) 21 de abril a 20 de maio

Obstinação, fixação, posse e paciência. Taurinos podem ser ciumentos, possessivos e ambiciosos. São também materialistas

sensuais e apreciam o conforto. O taurino pode conseguir o que quer através da fala, pois é convincente e persistente. Discutir com ele pode ser um desafio. A melhor maneira de vence-lo é pela ação indireta, afaste-se e dê-lhe tempo. Touro é, portanto, TER. O indivíduo em busca de sua estabilidade.

Peixes (Água) 20 de fevereiro a 20 de março

Sonhadores! São emotivos, sensíveis e intuitivos. Magoam-se e choram com facilidade. Podem fugir do mundo real e desperdiçar o tempo com devaneios e fantasias. São muito compreensivos e precisam de tempo para ficar sozinhos para sonhar...

O zodíaco está dividido em doze zonas do céu, cada uma com o nome da constelação que originalmente se encontrava nessa zona (Touro, Leão, etc.). Devido à precessão dos equinócios, os pontos de equinócio e solstício moveram-se cerca de 30 graus para oeste nos últimos 2000 anos. Ou seja, as constelações zodiacais referidas nos tempos antigos já não correspondem aos segmentos do zodíaco representados pelos seus signos. As órbitas aparentes do sol, lua e principais planetas caem dentro do zodíaco.

Fonte: www.adorofisica.com.br

Publicidade